Buscar
  • Medialogar

A Mediação e o impacto gerado na sociedade.

Atualizado: 27 de Set de 2019

Com advento da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 e o surgimento de Novos Direitos, a sociedade passou a ter uma maior autonomia, vez que os Direitos Fundamentais passam a envolver não só os Direitos Materiais em espécie, como liberdade, moradia, saúde, educação, entre outros mas, também, contemplam escolhas de cada indivíduo, no sentido de torná-lo, a um só tempo, mais livre para praticar seus atos e, mais responsável pelas consequências advindas dos mesmos.

O fortalecimento de tais direitos também trouxe, em contrapartida, uma sobrecarga do Poder Judiciário, vez que o processo judicial litigioso foi, por muito tempo, um caminho escolhido em casos de conflitos surgidos entre familiares, sócios, vizinhos e indivíduos em uma relação de disputa.

Neste contexto, surge a partir dos anos 1990, seguindo a tendência do restante dos países da América Latina, a Mediação de Conflitos. O movimento da Mediação traz, para o seio da sociedade, uma nova visão do que chamamos Justiça, vez que permite aos indivíduos sociais a reflexão acerca da cultura da paz, em detrimento da cultura da sentença.

O procedimento leva àqueles que nele acreditam a desenvolverem suas capacidades de autodeterminação, empoderamento, emancipação e, por fim, a possibilidade de enxergar no conflito algo positivo - isto é uma marca interventiva da Mediação, sendo capaz de redefinir posturas, modificar comportamentos e gerar bem-estar.

A trama desenvolvida durante a Mediação distancia os mediandos (participantes do processo de Mediação) de uma visão crítica, fomentando o respeito ao outro e levando a uma autoanálise de seu próprio comportamento.

Hoje, com a chegada da mediação, há a possibilidade de nós, pessoas humanas, resgatarmos a habilidade que nos diferencia das outras espécies, qual seja, a comunicação - uma das principais ferramentas utilizadas pelo mediador.

Intervenções com esse objetivo, além de solucionar uma situação conflituosa tornando-a um ganho mútuo para ambos os envolvidos, também trazem a médio e longo prazos uma sociedade mais empoderada e capaz à reflexão - o que a torna fortalecida e mais humanizada.

Neste sentido, temos que o procedimento da Mediação, trazido ao Brasil com a Lei 13.140/2015, é atualmente, para nossa sociedade, metaforicamente, como o "Barco de Neurath": "somos como marinheiros obrigados a reparar o seu barco em alto-mar sem qualquer possibilidade de desmontar todas as peças e de o reconstruir em doca seca." (Otto Neurath). Estamos em um caminho sem retorno e devemos fazer o melhor para ajustar as ferramentas da Mediação à nossa vida e em nossas relações interpessoais, construindo assim uma sociedade mais pacífica e menos beligerante.




26 visualizações

+55 (24) 3302-4610

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social

©2019 by MEDIALOGAR. Proudly created with Wix.com